Páginas

Seja um seguidor e receba nosso axé

Pesquisar assuntos deste blog

Leia também neste site

quinta-feira, 25 de junho de 2009

O fim da Vela


Pai acho que minha vela já esta acabando e eu ainda nem comecei a rezar
Tenho medo de não conseguir terminar a oração, estou aflito, peço perdão.
Tenho andado em busca de ti, andei por lugares estranhos e não te encontrei.
Buscava um raio de luz, muitas cores, cheiros agradáveis mas nada achei.
Meus pés já cansados muitos calos eu formei, mas ainda caminhava em sua busca.
Procurei nos humildes, mas neles também faltou a fé
Procurei nos ricos mas eles não dividiam a fé que tinham no senhor.
Procurei entre os doentes, mas lembravam de ti somente nestas horas.
Procurei nas crianças abandonadas, mas vi que as deixastes.
Procurei nas feridas de meu coração, mas nem mesmo sei quem as fez.
Procurei entre os animais mas estes com receio tinham medo de mim.
Procurei no perfume da flores mas o vento as sopravam para longe.
Procurei nas Igrejas mas estavam fechadas pois haviam poucos fieis.
Procurei em suas orações, mas era interrompido pelas minhas lagrimas.
Procurei entre os sofridos presos entre muralhas, mas somente encontrei ódio.
Procurei em todos lugares, em tudo que deixastes para nós, e ainda não encontrei.

Meu filho não procurastes ainda dentro do seu coração, estes lugares que passastes, as pessoas ainda não me acharam, pois não olharam para dentro de si, sobre tudo que falastes, estão meus ensinamentos, somente olhastes o resultado deles, não olhastes na causa profunda da aceitação de minhas palavras, vistes os sofrimentos das pessoas, quando existe o sofrimento, sou mais procurado nesta hora, mas poucos conversam comigo, pedem somente a cura de seus males, pedem o dinheiro que lhes faltam, pedem a morada como abrigo, pedem muito mas nada encontram, pois esquecem de pedir com seus atos também, pedem em palavras, mas somente as aceito quando são contidas de amor, quando as atitudes são feitas em meu nome.
Quando a fome chega, o pão não é suficiente, da sede eu tenho a água, mas ainda não sacia os gananciosos, do amor eu tenho o semelhante, mas muito se tem ódio dele, do medo eu tenho minha mão, mas muitos não a alcançam.
Quando perguntas eu tenho as respostas, mas seu coração muitas vezes não tem espaço pra elas.
Comece tudo de novo, volte aos lugares que passastes, leve estes ensinamentos a todos que encontrares, ali me encontraras, neste momento eu sou você, sou sua mão, seu coração e seus pensamentos.
A vela ainda não se apagou, antes que se apague outra se acendera.

Autor Emidio de Ogum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não somos donos da verdade, mas sim contribuintes a boa divulgação dos ensinamentos da Umbanda, caso tenha algo para acrescentar ou corrigir envie para nós.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Leia o Blog e Ouça este lindo Hino dos Orixás

Histórias dos Mestres

Aqui nosso E Mail mande sugestôes - espadadeogum@gmail.com

Pai Oxalá

Jesus

Conselheiros dos Guerreiros do Axé

Conselheiros dos Guerreiros do Axé
Pai Leonardo e Pai Emidio de Ogum

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras
Pai Leo das Pedreiras

Eterno Mestre

Eterno Mestre
Este senhor ensinou a humildade e nunca usar um dom para ganhar algo em troca.

Mais de 10 milhões de Visitantes - Que nosso Pai Ogum ilumine seus caminhos

Pomba Gira

Oração de São Francisco por Maria Bethania

São Francisco

Oração a São Francisco