Páginas

Seja um seguidor e receba nosso axé

Pesquisar assuntos deste blog

Leia também neste site

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Os grandes Pretos e Pretas Velhas



Os grandes Pretos e Pretas Velhas!

São considerados dentro da Umbanda e até mesmo dentro de certas casas de Candomblé, como as grandes almas conhecedoras da espiritualidade e da religião em si. Contam as lendas que quando os holandeses e portugueses decidiram trazer a mão de obra escrava para trabalhar nas terras brasileiras (pois a quatequese e o trabalho indígena não tinham dado certo) os negros e negras que vieram das terras africanas, trouxeram com eles uma cultura muito forte e uma reli gião que aqui se firmou e acabou criando as bases para a única religião 100% brasileira, a Umban da.

Com a vinda dos negros para o Brasil, trouxeram culturas de várias nações ainda hoje existentes (gegê, marrim, angola, nagô, jejá e ketu) outras se perderam com o tempo e com a falta de pós e ervas para o seu culto. O desembarque dos negros aqui no Brasil se deu em várias regiões, principalmente na Bahia, mas houveram desembarques também em terras Paranaenses, Mineiras, Porto Alegrenses, São Paulinas e Fluminenses.

Mas por razão desconhecida se firmou com muita força nas terras do Norte, onde a pre sença até hoje é muito forte. Esses desembarques em locais e terras diferentes explica uma das contradições mais discutidas dentro das Nações do Candomblé e da própria Umbanda.

Com o desembarque nas terras brasileiras, a catequese por parte dos portugueses e ho landeses foi marcante, obrigando os africanos a se dedicarem única e exclusivamente a religião predominante na época, o Catolicismo. Os africanos eram obrigados a jurar lealdade e amor a religião que fora imposta a eles. Mas por mistérios até hoje desconhecidos, tiveram a idéia de ligar os orixás que cultuavam aos santos da igreja católica, fazendo assim um altar com santos e santas para agradar aos senhores de engenho, mais por baixo das imagens (a maioria de barro) existiam os axés e assentamentos dos orixás que por eles eram cultuados. A partir desse momento nasce o Sincretismo. Para os africanos Ogum era o deus da guerra na África, fazendo a ligação a São Jorge e assim sucessivamente. Mas enquanto os africanos atribuiam Ogum a São Jorge nas terras do Sul, no Norte a atribuição era dada a São Sebastião e a Santo Antônio (dois santos também muito guerreiros e que viveram na mesma época de São Jorge).

Dai aconteceram as mudanças de sincretismo, existentes até hoje.

No ano de 1908 (data de fundação da Umbanda) os espíritos que trabalhavam em uma linha chamada linha branca (exus, caboclos, pretos velhos e catimbozeiros) decidiram fundar uma religião que fugisse aos costumes Candomblecistas, que não promovesse holocaustos e que teria a função básica de cultuar somente os orixás cujo sincretismo já existia, e que prestasse acima de tudo a caridade. Funda-se a Umbanda tendo como grande mentor o Caboclo das 7 encruzilhadas (ver o link caboclos ).

Hoje dentro da Umbanda, demonstram a grande Lei do Criador levando em frente a pas sagem "Ama ao próximo como a ti mesmo". Hoje depois de anos de sofrimento e castigos, vem dentro de Umbanda e prestam a caridade absoluta, esquecendo por completo a encarnação de dor e de miséria pela qual passaram. São espíritos puros e ocupam a mais alta patente dentro de Umbanda, são grandes guias e mentores espiriuais. Comandam casas de santo com sapiência e astúcia pouco vista. Não tem correntes, e hoje são espíritos que dominam todas as linhas e co nhecem como ninguém os feitiços e macumbas do santo. Rodam o mundo e tem a permissão de Deus para entrar e sair de qualquer mundo ou lugar. Fumam cachimbos e fumos de palha e bebem seu vinho tinto, café sem açucar e água da chuva.

Dentro de Umbanda podemos citar: Pai Joaquim, Pai José, Pai jacó, Pai Manoel, Velho Chico, Pai Guiné, Rei Congo, Pai Congo entre outros. As pretas velhas mais conheci das são: Vovó Maria Conga, Vovó Rosa, Vovó Maria Rita, Vovó Cambida, Vovó Catarina, Vovó Benedita entre outras.

Louvado sejam as almas benditas do cativeiro!!!

Axé a todos
Saravá Pai Benedito
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não somos donos da verdade, mas sim contribuintes a boa divulgação dos ensinamentos da Umbanda, caso tenha algo para acrescentar ou corrigir envie para nós.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Leia o Blog e Ouça este lindo Hino dos Orixás

Histórias dos Mestres

Aqui nosso E Mail mande sugestôes - espadadeogum@gmail.com

Pai Oxalá

Jesus

Conselheiros dos Guerreiros do Axé

Conselheiros dos Guerreiros do Axé
Pai Leonardo e Pai Emidio de Ogum

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras
Pai Leo das Pedreiras

Eterno Mestre

Eterno Mestre
Este senhor ensinou a humildade e nunca usar um dom para ganhar algo em troca.

Mais de 10 milhões de Visitantes - Que nosso Pai Ogum ilumine seus caminhos

Pomba Gira

Oração de São Francisco por Maria Bethania

São Francisco

Oração a São Francisco