Páginas

Seja um seguidor e receba nosso axé

Pesquisar assuntos deste blog

Leia também neste site

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Pontos dos Pretos Velhos

PRETOS VELHOS – Mãe Maria Mina

Mamãe Maria Mina
Firma este Conga
Oh Mãe Maria Mina
Firme este Conga
Mamãe Maria Mina
Firma este Conga
Oh Mãe Maria Mina
Firme este Conga

Onde está o seu segredo
Ninguém chega lá
Num ranchinho de pedra
No fundo do mar
Onde está o seu segredo
Ninguém chega lá
Num ranchinho de pedra
No fundo do mar


PRETOS VELHOS – Mironguê

Bangulê, bangulá
Salve o meu Pai Orixá
Bangulê, bangulá
Mironguê vai saravar
Bangulê, bangulá
Salve o meu Pai Orixá
Bangulê, bangulá
Mironguê vai saravar

Venho de Aruanda, do mar além
Seus filhos chamam, Pretos Velhos vêm
Vem na Umbanda, praticar o bem
Vem na Umbanda, praticar o bem


PRETOS VELHOS – Mãe Maria Conga

Mãe Maria, ê, ê
Mãe Maria ê, á
Mãe Maria Conga é rainha deste Conga
Mãe Maria, ê, ê
Mãe Maria ê, á
Mãe Maria Conga é rainha deste Conga

Vou bater meu atabaque
Até o amanhecer do dia
Vou bater meu atabaque
Até o amanhecer do dia

Mãe Maria quando chega
Só traz paz e alegria
Mãe Maria quando chega
Só traz paz e alegria


PRETOS VELHOS

Preto ta no Terreiro
Olha Preto aqui chegou
Ele é filho de Pemba
Nosso Senhor quem mandou
Preto ta no Terreiro
Olha Preto aqui chegou
Ele é filho de Pemba
Nosso Senhor quem mandou

Keguelê, keguelê Xangô
Ele é filho da Cobra Coral
Keguelê, keguelê Xangô
Ele é filho da Cobra Coral

Olha Preto ta trabalhando
Olha branco só ta olhando
Olha Preto ta trabalhando
Olha branco só ta olhando


PRETO VELHO – Pai Joaquim

Sarava, sarava, sarava
Chega pra lá mandingueiro
Sarava, sarava, sarava
Chega pra lá mandingueiro

Preto Venho vem de Aruanda
Já chegou em nosso Terreiro
Ele vem pra nos afastar
Da mira de feiticeiro

Sarava, sarava, sarava
Chega pra lá mandingueiro
Sarava, sarava, sarava
Chega pra lá mandingueiro

Pai Joaquim nasceu lá na Costa
Lá na Costa ele foi batizado
Pai Joaquim quando firma seu Ponto
Desmancha feitiço malvado

PRETO VELHO – Omulu/Obaluayê

Meu Pai Oxalá é o Rei, venha me valer
Meu Pai Oxalá é o Rei, venha me valer
E o velho Omulu, Atotô Obaluayê
E o velho Omulu, Atotô Obaluayê

Atotô Obaluayê, Atotô Babá
Atotô Obaluayê, Atotô é Orixá
Atotô Obaluayê, Atotô Babá
Atotô Obaluayê, Atotô é Orixá


PRETOS VELHOS – Vários

Quem vem de longe é Pai Jacinto de Angola
Quem vem de longe é Pai Jacinto de Angola

Quem vem de longe é Mãe Maria de Angola
Quem vem de longe é Mãe Maria de Angola

Com seus cabelos brancos e encaracolados
Tem a brancura da pureza e da alegria
São abençoados pelo filho de Maria
São abençoados pelo filho de Maria

Quem vem de longe é Vô Juvêncio de Angola
Quem vem de longe é Vô Juvêncio de Angola

Quem vem de longe é Vó Luzia de Angola
Quem vem de longe é Vó Luzia de Angola

Com seus cabelos brancos e encaracolados
Tem a brancura da pureza e da alegria
São abençoados pelo filho de Maria
São abençoados pelo filho de Maria

Quem vem de longe é Pai João de Angola
Quem vem de longe é Pai João de Angola

Quem vem de longe é Mãe Joana de Angola
Quem vem de longe é Mãe Joana de Angola

Com seus cabelos brancos e encaracolados
Tem a brancura da pureza e da alegria
São abençoados pelo filho de Maria
São abençoados pelo filho de Maria

Quem vem de longe é Pai Bento de Angola
Quem vem de longe é Pai Bento de Angola

Quem vem de longe é Mãe Zéfa de Angola
Quem vem de longe é Mãe Zéfa de Angola

Com seus cabelos brancos e encaracolados
Tem a brancura da pureza e da alegria
São abençoados pelo filho de Maria
São abençoados pelo filho de Maria

PRETOS VELHOS – Obaluayê

Ele é um grande Orixá
Ele é o chefe da Calunga
Ele é Seu Atotô
Obaluayê
Ele é Seu Atotô
Obaluayê
Ele é Seu Atotô
Obaluayê
Ele é Seu Atotô
Obaluayê

PRETOS VELHOS – Omulu

Cadê a chave do baú
Ta com Deus e Omulu
Cadê a chave do baú
Ta com Deus e Omulu

PRETOS VELHOS – Omulu

Seu Omulu ê
Seu Omulu ê
Seu Omulu ê
É Omulu é Orixá
Seu Omulu ê
Seu Omulu ê
Seu Omulu ê
É Omulu é Orixá

Sarava Seu Omulu
Omulu ê
Sarava Seu Omulu
Omulu é Orixá
Sarava Seu Omulu
Omulu ê
Sarava Seu Omulu
Omulu é Orixá




PRETOS VELHOS – Tia Maria

Foi numa noite de Lua
Que eu vi Tia Maria chegar
Foi numa noite de Lua
Que eu vi Tia Maria chegar

Ela estava tão serena
Sentada em seu Conga
Ela estava tão serena
Sentada em seu Conga

Ê, ê, ê, ê, ê
Ela veio saravar
Ê, ê, ê, ê, ê
Os seus filhos abençoar
Ê, ê, ê, ê, ê
Ela veio saravar
Ê, ê, ê, ê, ê
Os seus filhos abençoar


PRETOS VELHOS – Tia Maria

Quando o galo canta
As almas se levantam
E o mar recua
Os Anjos do Céu dizem amém
Tia Maria diz aleluia

Diz aleluia, diz aleluia
Tia Maria diz aleluia
Diz aleluia, diz aleluia
Tia Maria diz aleluia

PRETOS VELHOS – Tia Maria

Tia Maria chegou no Congá
Galo cantou e eu ouvi uam Coral piar

Segura a Pemba, passa a mão na ferramenta
Pra chamar povo de Umbanda e vamos trabalhar
Segura a Pemba, passa a mão na ferramenta
Pra chamar povo de Umbanda e vamos trabalhar

Tira daqui, meu zifio, tira de lá
O tocar, olha a Pemba
De Pai Oxalá
Tira daqui, meu zifio, tira de lá
O tocar, olha a Pemba
De Pai Oxalá
PRETOS VELHOS – Chamada

Quem vem, quem vem lá de tão longe
São os nossos guias que vêm trabalhar
Quem vem, quem vem lá de tão longe
São os nossos guias que vêm trabalhar

Oh dai-me forças pelo amor de Deus, meu Pai
Oh dai-me forças nos trabalhos meus
Oh dai-me forças pelo amor de Deus, meu Pai
Oh dai-me forças nos trabalhos meus

Pretos Velhos vem, vem
Pretos Velhos arreia
Pretos Velhos vem, vem
Pretos Velhos arreia

Pretos Velhos vem de Angola, Pretos Velhos vem de Angola, Angola
Pretos Velhos vem de Angola, Pretos Velhos vem de Angola, Angolá

PRETOS VELHOS

Navio Negreiro, na beira do mar, trazendo os Pretos Velhos para trabalhar
Navio Negreiro, na beira do mar, trazendo os Pretos Velhos para trabalhar

Vamos trabalhar, povo de Congo, traz a sua gira em qualquer lugar
Vamos trabalhar, povo de Congo, traz a sua gira em qualquer lugar

O navio negreiro chegou, carregado de Preto é de Nagô
O navio negreiro chegou, carregado de Preto é de Nagô

Navio virou, no fundo do mar, quem me salvou foi a Mãe Yemanjá
Navio virou, no fundo do mar, quem me salvou foi a Mãe Yemanjá

No fundo do mar tem três panelas, não tem nesse mundo quem possa com elas
No fundo do mar tem três panelas, não tem nesse mundo quem possa com elas


PRETOS VELHOS

Ai que noite bonita, noite serena
Viva São Benedito, viva Santa Efigênia
Ai que noite bonita, noite serena
Viva São Benedito, viva Santa Efigênia

Minha Santa Efigênia, ela é caridosa
Viva meu São Benedito, ele é curandeiro
Minha Santa Efigênia, ela é caridosa
Viva meu São Benedito, ele é curandeiro


PRETOS VELHOS – Demanda

Quando Preto Velho trabalha, pisa no Terreiro
Quando Preto Velho trabalha, pisa no Terreiro

Filharada firma a corimba, quebra feiticeiro
Filharada firma a corimba, quebra feiticeiro

Quando Preto Velho trabalha, pisa no Terreiro
Quando Preto Velho trabalha, pisa no Terreiro

Todos filhos ficam de ronda, quebra macumbeiro
Todos filhos ficam de ronda, quebra macumbeiro


PRETOS VELHOS

Aiuê, o meu cativeiro, olha meu cativeiro, meu cativerá
Aiuê, o meu cativeiro, olha meu cativeiro, meu cativerá
Aiuê, o meu cativeiro, olha meu cativeiro, meu cativerá
Aiuê, o meu cativeiro, olha meu cativeiro, meu cativerá

Preto Velho tava cansado, ia pra senzala e batia o tambor
Preto Velho dava viva à Yayá, dava viva à Sinhá, dava viva ao Sinhô
Preto Velho tava cansado, ia pra senzala e batia o tambor
Preto Velho dava viva à Yayá, dava viva à Sinhá, dava viva ao Sinhô


PRETOS VELHOS

Cativeiro, cativeiro, cativeiro, cativeiro, cativeiro, cativerá, aiuê meu cativeiro
Cativeiro, cativerá, aiuê meu cativeiro, cativeiro, cativerá, aiuê meu cativeiro
Cativeiro, cativeiro, cativeiro, cativeiro, cativeiro, cativerá, aiuê meu cativeiro
Cativeiro, cativerá, aiuê meu cativeiro, cativeiro, cativerá, aiuê meu cativeiro


PRETOS VELHOS – Almas

Adorei as Almas e as almas me atenderam
Adorei as Almas e as almas me atenderam

Eram as Santas Almas lá do Cruzeiro
Eram as Santas Almas lá do Cruzeiro


PRETOS VELHOS – Almas

As Almas já acenderam o candeeiro, ê, ê, ê, lá no fundo do mar
As Almas já acenderam o candeeiro, ê, ê, ê, lá no fundo do mar
As Almas já acenderam o candeeiro, ê, ê, ê, lá no fundo do mar

PRETOS VELHOS – Almas

Lá no Cruzeiro das Almas, aonde as Almas vão rezar
Lá no Cruzeiro das Almas, aonde as Almas vão rezar

As Almas choram de alegria quando seus filhos combinam
Também choram de tristeza quando não quer combinar
As Almas choram de alegria quando seus filhos combinam
Também choram de tristeza quando não quer combinar


PRETOS VELHOS – Almas

Eu andava perambulando sem ter nada pra comer
Fui pedir às Santas Almas para vir me socorrer
Eu andava perambulando sem ter nada pra comer
Fui pedir às Santas Almas para vir me socorrer

Foi as Almas que me ajudou, foi as Almas que me ajudou
Meu Divino Espírito Santo, glória à Deus Nosso Senhor
Foi as Almas que me ajudou, foi as Almas que me ajudou
Meu Divino Espírito Santo, glória à Deus Nosso Senhor


PRETOS VELHOS – Chamada

Congo e Angola vieram trabalhar
Olha Congo vem por terra e Angola vem pelo mar

Congo e Cambinda vieram trabalhar
Olha Congo vem por terra e Cambinda vem pelo mar


PRETOS VELHOS – Chamada

Arriou na Linha de Congo, é Congo é Congo aruê
Quem trabalha na Linha de Congo, agora que eu quero ver

Desceu com o povo de Congo, é Congo é Congo aruê
Desceu com o povo de Congo, agora que eu quero ver


PRETOS VELHOS – Pai Benedito

Benedito é Preto, oi Calunga, mora no roseiral, oi Calunga
Benedito é Preto, oi Calunga, mora no roseiral, oi Calunga

É Preto rezador, oi Calunga, chefe de Conga, oi Calunga
É Preto rezador, oi Calunga, chefe de Conga, oi Calunga


PRETOS VELHOS – Pai Guiné

É o vento que balança a folha, Guiné, é o vento que balança a folha
É o vento que balança a folha, Guiné, é o vento que balança a folha

É, é, é, Pai Guiné, é o vento que balança a folha
É, é, é, Pai Guiné, é o vento que balança a folha


PRETOS VELHOS

Preto na senzala, bateu sua caixa, deu viva à Yayá
Preto na senzala, bateu sua caixa, deu viva à Yoyô
Preto na senzala, bateu sua caixa, deu viva à Yayá
Preto na senzala, bateu sua caixa, deu viva à Yoyô

Viva Yayá, viva Yoyô, viva Nossa Senhora, cativeiro já acabou
Viva Yayá, viva Yoyô, viva Nossa Senhora, cativeiro já acabou


PRETOS VELHOS

É Nagô é, é Nagô é, é Nagô é
É Nagô é, é Nagô é, é Nagô é

Se ele é filho de Nagô, seu padrinho é São José
Se ele é filho de Nagô, seu padrinho é São José


PRETOS VELHOS

Lá vem vovó, descendo a serra com a sua sacola
É com seu patuá, é com sua missão, ela vem de Angola
Lá vem vovó, descendo a serra com a sua sacola
É com seu patuá, é com sua missão, ela vem de Angola

Eu quero ver vovó, eu quero ver
Eu quero ver se filho de Umbanda tem querer
Eu quero ver vovó, eu quero ver
Eu quero ver se filho de Umbanda tem querer


PRETOS VELHOS – Pai Joaquim

Que Preto é esse, oi Calunga, que chegou agora, Calunga
Que Preto é esse, oi Calunga, que chegou agora, Calunga

É Pai Joaquim, oi Calunga, que veio de Angola, Calunga
É Pai Joaquim, oi Calunga, que veio de Angola, Calunga


PRETOS VELHOS - Demanda

Com dendê, com dendê, Preto Velho trabalha com dendê
Com dendê, com dendê, Preto Velho trabalha com dendê

Agora que eu quero ver, Preto Velho trabalha com dendê
Agora que eu quero ver, Preto Velho trabalha com dendê


PRETOS VELHOS

Congo ê, Congo ê, Congo de Sassaravá
Congo de Sassaravá, segura seus filhos que Deus é maior


PRETOS VELHOS

É Congo, é Umbelê, Umbelê é Rei de Congo
É Congo, é Umbelê, Umbelê é o Naruê


PRETOS VELHOS – Leo

Leo, Leo, Leo, Leo
Rei de Congo Leo, Leo, Rei de Congo Leo, Leo


PRETOS VELHOS

Senhora do Rosário, foi quem me trouxe aqui
Senhora do Rosário, foi quem me trouxe aqui

A água do mar é santa, eu vi, eu vi, eu vi
A água do mar é santa, eu vi, eu vi, eu vi


PRETOS VELHOS

Caminhou, caminhou, Preto Velho caminhou
Caminhou, caminhou, Preto Velho caminhou

Lá na Aruanda maior, Preto Velho caminhou
Lá na Aruanda maior, Preto Velho caminhou


PRETOS VELHOS

Minha cachimba tem mironga, minha cachimba tem dendê
Minha cachimba tem mironga, minha cachimba tem dendê

Quem duvida da minha cachimba, que venha ver, que venha ver
Quem duvida da minha cachimba, que venha ver, que venha ver









PRETOS VELHOS

Ta caindo fulo, ta caindo fulo, ta caindo fulo, ta caidno fulo
Lá do céu, cá na Terra, ô lê lê ta caindo fulo
Lá do céu, cá na Terra, ô lê lê ta caindo fulo


PRETOS VELHOS – Subida

A sineta do céu bateu, Oxalá já diz que é hora
A sineta do céu bateu, Oxalá já diz que é hora

Eu vou, eu vou, eu vou, fica com Deus e Nossa Senhora
Eu vou, eu vou, eu vou, fica com Deus e Nossa Senhora


PRETOS VELHOS – Descarrego

Mãe Maria, Mãe Tereza, lavadeira de sinhá
Lava a roupa de seus filhos na beira do mar
Mãe Maria, Mãe Tereza, lavadeira de sinhá
Lava a roupa de seus filhos na beira do mar


PRETOS VELHOS

Oi sarave o Sol, oi sarave a Lua, oi sarave a Estrela, oi sarave o Mar
Oi sarave o Sol, oi sarave a Lua, oi sarave a Estrela, oi sarave o Mar
Oi sarave o Sol, oi sarave a Lua, oi sarave a Estrela, oi sarave o Mar


PRETOS VELHOS

Preto Velho trabalha com São Cipriano e Jacó
Preto Velho trabalha com São Cipriano e Jacó

Trabalha com a Chuva e o Vento, trabalha com a Lua e o Sol
Trabalha com a Chuva e o Vento, trabalha com a Lua e o Sol


PRETOS VELHOS

Lá do Céu vem descendo uma coroa
É a coroa da Virgem da Glória
Lá do Céu vem descendo uma coroa
É a coroa da Virgem da Glória

Vamos descer ela com jeito, meu Pai
E a coroa de Nossa Senhora
Vamos descer ela com jeito, meu Pai
E a coroa de Nossa Senhora

PRETOS VELHOS

A Luz de Cristo “alumiou” o mundo inteiro
A Luz de Cristo “alumiou” o mundo inteiro
A Luz de Cristo “alumiou” o mundo inteiro
Firmai no Cristo, que o Cristo é verdadeiro



Feliz 2010 a todos Irmãos de Fé
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não somos donos da verdade, mas sim contribuintes a boa divulgação dos ensinamentos da Umbanda, caso tenha algo para acrescentar ou corrigir envie para nós.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Leia o Blog e Ouça este lindo Hino dos Orixás

Histórias dos Mestres

Aqui nosso E Mail mande sugestôes - espadadeogum@gmail.com

Pai Oxalá

Jesus

Conselheiros dos Guerreiros do Axé

Conselheiros dos Guerreiros do Axé
Pai Leonardo e Pai Emidio de Ogum

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras
Pai Leo das Pedreiras

Eterno Mestre

Eterno Mestre
Este senhor ensinou a humildade e nunca usar um dom para ganhar algo em troca.

Mais de 10 milhões de Visitantes - Que nosso Pai Ogum ilumine seus caminhos

Pomba Gira

Oração de São Francisco por Maria Bethania

São Francisco

Oração a São Francisco