Páginas

Seja um seguidor e receba nosso axé

Pesquisar assuntos deste blog

Carregando...

Leia também neste site

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Páscoa na Umbanda

Jesus: 6


Páscoa
Antes de iniciar a reflexão específica sobre 
a Páscoa gostaria de discorrer sobre uma 
simbologia genérica que circunda esta festa.
 De modo geral a Páscoa significa o renascimento,
a vida nova que sucede após a marca de um fim. 
Um símbolo universal para ela é o círculo, ele 
não tem começo e nem fim, ele representa a 
eternidade e também os ciclos da natureza, 
os ciclos vividos pelos seres vivos como 
nascimento e morte, entre outros.

As comunidades indígenas dançam e celebram em 

círculo, mandalas são circulares, o ovo, um dos 
símbolos pascais é redondo. O mito do ovo como 
origem do universo se encontra em diferentes 
partes do planeta. O ovo simboliza o potencial 
de vida, a imortalidade e o útero gerador de vida.
 A forma do tambor, instrumento que para algumas 
culturas simboliza o som primordial, é circular. 
Tambores tocando podem significar, para muitos 
índios o som do coração do universo. As tablas 
indianas, espécie de tambores, são reconhecidos 
como pertencente a Shiva, divindade que percute 
neles o pulsar do universo. Da mesma forma os 
gongos chineses marcam etapas de tempo e címbalos 
tibetanos simbolizam a conecção com o céu, todos 
esses objetos são circulares.

O zero foi inventado na Índia e representa o não 

ser e a eternidade. Para Pitágoras era a forma 
perfeita que contém tudo e do qual tudo é criado.
 No Islã ele é luz ilimitada e essência divina. 
No símbolo taoísta do Yin e Yang é o círculo quem
 contém a representação das polaridades que movimentam
 a vida e a morte. O próprio sol na linguagem 
alquímica é representado por um círculo. A bola de
 cristal destinada a predição do destino pode 
concentar os raios do sol, tendo sido escolhida 
pelos exotéricos para representar um objeto de poder
 simbólico.

Como exemplo transcreverei o um mito de criação do

universo, do povo chinês.
O Yin e o Yang estavam contidos dentro de um ovo 

gigantesco. Ao lutarem entre si, quebraram o ovo
ao meio, revelando o criador chamado Pan Ku. Quando
 o Deus emergiu do ovo a terra e o céu se separaram
e Pan Ku, entre os dois, manteve-os separados. Por 
18.000 anos o deus trabalhou na criação , usando 
martelo e formão, ajudado apenas por um dragão, 
uma fênix e um unicórnio, um tigre e uma tartaruga.
 Quando Pan Ku morreu, seu hálito transformou-se no 
vento e seus olhos no sol e na lua.

Como pudemos ver o ovo é uma representação

 simbólica extremamente forte na psique do 
ser humano não 
importando a região na qual ele habita.
Não é por acaso que ele foi escolhido como 

um dos importantes símbolos pascais. A idéia
 de se presentear pessoas com ovos de 
chocolate só surgiu na época do desenvolvimento
 da indústria chocolateira, antes disso 
os ovos de galinha eram pintados com cores 
vibrantes e presenteados a pessoas queridas, 
costumava-se também colocar mensagens dentro 
deles e em alguns lugares se 
colocavam imagens religiosas em seu interior.

Em 1883, Peter Carl Fabergé, a pedido de um czar 

russo confeccionou como presente de Páscoa para a
 esposa do czar um ovo em prata, ouro e pedras 
preciosas e em seu interior ele depositou uma 
réplica da coroa. Muito impressionado o Czar 
pediu a Fabergé que fizesse mais ovos como 
aquele para serem distribuídos durante a Páscoa.

Atualmente em nossa cultura marcada pela 

industrialização o ovo de Páscoa passou a
 ser de chocolate, bem como os coelhinhos
 que são marca deste período de festa.

A tradição do coelho foi trazida para a América 

por imigrantes em 1700. Muitos diziam às crianças
 que o coelhinho havia escondido os ovos e elas 
teriam que procurá-los no Domingo de Páscoa.

Certa lenda diz que uma mulher pobre coloriu ovos

 para presentear seus filhos e que os escondeu 
em um ninho, quando as crianças descobriram os 
ovos viram passar um coelhinho correndo e aí 
surgiu a idéia de que são eles quem trazem os ovos.

Mas, os coelhos também simbolizam aspectos 

importantes para diferentes culturas. No Egito
 antigo o coelho simbolizava o nascimento e a 
nova vida, povos da antigüidade o consideravam 
símbolo da lua. Há uma hipótese de ele tenha se
 tornado símbolo pascal por se a lua fator 
determinante da data da Páscoa.

Outro simbologia para o coelho é a da fertilidade, 

ele é um animal bastante fértil. Para a astrologia 
chinesa o coelho representa a sensibilidade e o 
conforto, se afastando sempre que possível de 
revoluções e conflitos, é um pacifista. A lebre
 é animal noturno, e temos aí mais uma vez a 
associação com a lua. Para alguns índios a Grande
 Lebre representa personagens opostos: parte palhaço
 e parte deus criador. Este animal se relaciona 
estreitamente com a terra, portanto partilha com
 ela do mesmo impulso de fertilidade.

No Hinduísmo, religião muito antiga, existe uma

 festa denominada Holi, que comemora a chegada 
da primavera, se realiza em março ou abril.
 É uma celebração de fertilidade. Nesta festa
 as pessoas acendem fogueiras para assar 
alimentos especiais e observar o fogo. 
Acredita-se que as terras que estiverem 
na direção do fogo serão as mais férteis 
no ano seguinte, esses povos realizam,
também, danças de fertilidade. No decorrer
 da festa barreiras sociais são rompidas, 
membros de diferentes castas jogam tinta 
colorida uns nos outros.

No Budismo japonês crianças celebram Hana 

Matsuri, importante festa mahayana do dia 
8 de abril. Se comemora o nascimento de Buda
 e também a chegada da primavera.

O povo Judeu comera o Pessach, ou seja: a 

passagem. Esta é a Páscoa Judaica. Nela o 
povo celebra o êxodo do Egito. Para eles a
 Páscoa é momento de lembrar o processo de 
libertação que ocorreu. Em Israel entre os 
judeus reformitas a celebração dura sete dias.
 O primeiro e o sétimo são feriados completos 
nos quais não se deve trabalhar.
O grande evento da Páscoa é o Seder(ordem), 
a refeição, antes dela é lido o haggada que 
é o relato da história da escravidão e libertação.
 No Seder de Pessach, em lares judaicos, um lindo 
prato é organizado e nele aparecem sob a forma 
circular, imagens pintadas cujo tema são as dez 
pragas sofridas pelos egípcios. São postos sob 
o prato elementos tais como: osso de carneiro, 
ovo queimado, raízes amargas, entre outros.
 Cada um deles com simbologia própria; o osso
 simboliza o carneiro de Pessach, o ovo as 
oferendas, a raiz amarga a vida no Egito. Depois
 da refeição é feita a ação de graças, seguida 
por várias canções.

A Umbanda por ter assimilado diversos elementos 

Cristãos também celebra a Páscoa. No Domingo de 
Ramos se consagram ervas, fazem batizados e 
benzimentos. Na Sexta-feira da Paixão diversos
 rituais são realizados, inclusive simpatias. 
No Sábado de Aleluia muitas festas para orixás. 
No Domingo de Páscoa faz-se trabalhos de erê, 
São Cosme e Damião, festa para crianças, ajuda 
aos pobres e carentes. Emprega-se a mesma 
filosofia referente ao coelho, ovos de chocolate,
presentes, mensagens de fé e otimismo, muita 
oração e amor ao próximo.

Para os cristãos de modo geral, Páscoa lembra 

que quando as pessoas morrem não é o fim pois 
há uma vida eterna com Deus para aqueles que 
crêem nele. Na Páscoa as igrejas são decoradas
com flores e os cristãos festejam, cantam e 
trocam presentes, ovos de Páscoa, simbolizando
 a vida eterna que Jesus deu a todos os fiéis.

O círio pascal , aquela vela grande que se acende 

nas igrejas, representa a luz da vida. Nesta 
celebração os cristão fazem uma fogueira fora 
da igreja, o simbolismo do fogo para representar
 a divindade é assimilado do Zoroastrismo, 
religião persa anterior ao cristianismo, 
na qual o fogo era representativo da presença 
do transcendente. Para o cristianismo, no 
momento da celebração Pascal o fogo, a luz, 
a vida são trazidos para dentro do templo 
a fim de comemorar a vinda da luz de Cristo.

São muitas as maneiras pelas quais o ser humano

celebra a possibilidade da renovação da vida e 
a Páscoa é, sem dúvida, um momento que marca
 ritualmente a passagem de um estado de ser 
para outro, marcando psiquicamente as pessoas
 e trazendo-lhes uma dimensão de esperança e 
leveza para se viver a vida. Assim como a
primavera renova as possibilidades de vida
 sobre a terra, a Páscoa renova energias 
interiores a fim de gerar condições para 
novas possibilidades de vida para os seres
humanos.
Feliz Pascoa a todos

Axé a todos Irmãos de Fé
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com

Leia o Blog e Ouça este lindo Hino dos Orixás

Histórias dos Mestres

Aqui nosso E Mail mande sugestôes - espadadeogum@gmail.com

Pai Oxalá

Jesus

Conselheiros dos Guerreiros do Axé

Conselheiros dos Guerreiros do Axé
Pai Leonardo e Pai Emidio de Ogum

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras
Pai Leo das Pedreiras

Eterno Mestre

Eterno Mestre
Este senhor ensinou a humildade e nunca usar um dom para ganhar algo em troca.

Mais de 5 milhões de Visitantes - Que nosso Pai Ogum ilumine seus caminhos

Pomba Gira

Faça seu cadastro e fale com Pai Emidio de Ogum

Oração de São Francisco por Maria Bethania

São Francisco

Oração a São Francisco