Páginas

Seja um seguidor e receba nosso axé

Pesquisar assuntos deste blog

Leia também neste site

sábado, 13 de março de 2010

Resposta da CCIR ao Cônsul do Haiti.


Amigos antes de lerem esta nota veja um pouco dos acontecimentos no Haiti, e depois veja se o seu Consul deveria trabalhar um pouco mais e falar um pouco menos sobre religião.



Resposta da CCIR ao Cônsul do Haiti.

A
Vossa Excelência
Sr. Samuel Antoine
Cônsul Geral do Haiti
Os sentimentos de revolta e indignação são poucos para expressar a real sensação dos religiosos brasileiros. Sim, Excelência! Muito poucos.
Primeiro, queremos saber a que “Deus” o senhor atribui a tragédia ocorrida em seu país. É vergonhoso que o senhor afirme que a “macumba” e a “maldição de africanos” sejam fatores para a ocorrência de uma tragédia como esta que assolou o Haiti.
Excelência, sua postura é incompatível com alguém que se diz desolado com uma catástrofe que atinge o país que há 35 anos paga o seu salário – com todas as vantagens relativas a representação internacional – acreditando que o senhor é, no mínimo, capaz de – diplomaticamente! – manter relações políticas e institucionais com o Governo e o povo do Brasil.
Em segundo lugar, não poderíamos esperar coisa muito diferente de Vossa Excelência. Pelas entrevistas que o senhor concedeu à imprensa brasileira - pedindo desculpas pela forma grosseira, racista e intolerante a qual se referiu ao seu próprio povo - o senhor revelou que descende de uma família que governou o Haiti no século XIV.
Não é difícil deduzir que sua ascendência é de uma família escravista, que durante séculos torturou seres humanos e enriqueceu explorando a mão-de-obra deste mesmo povo. Portanto, o senhor traz em sua estirpe “tão elevada” a mancha dos sofrimentos impostos ao povo haitiano. Se o senhor fosse uma pessoa de princípios (?!?!) teria desenvolvido algum tipo de “culpa social”, que mesmo sendo um motivo rasteiro e pouco nobre, serviria para que o senhor – de verdade! – se mobilizasse em prol da população haitiana. Mas, ao contrário, nos parece que o senhor gostaria muito que os “africanos amaldiçoados, que mexem com macumba” voltassem a ser escravos dos representantes do seu país... Talvez isso explique a sua frase “A desgraça de lá está sendo uma boa pra gente, fica conhecido”.
Em terceiro lugar, a “macumba” a qual o senhor se refere é a característica cultural mais acentuada do Haiti. É claro que a sua ignorância em relação ao seu povo é totalmente explicada: o senhor vive há 35 anos no Brasil e nem mesmo aprendeu a falar o português. Então, nós vamos explicar – sem desenhos! – um pouco sobre a religião do seu povo.
O Vodu, Excelência, é a marca do Haiti que mesmo a colonização e a escravidão não apagou.
O Vodu, do ponto de vista religioso, foi o que sustentou a luta pela independência do seu país e funciona como resistência cultural desses milhares de homens, mulheres e crianças que – hoje - choram seus mortos e sentem fome.
É triste – para não usarmos o mesmo palavrão que o senhor utilizou para se referir aos “lugares que têm africanos” - que nós, brasileiros, descendentes e produtos da força de trabalho, da cultura e da religiosidade africanas tenhamos que conviver com um ser humano do seu tipo.
Não somos amaldiçoados, NÃO! Excelência.
Ao contrário do senhor, nos orgulhamos de nossas origens. E da resistência que nos foi ensinada por nossos antepassados.
Comissão de Combate à Intolerância Religiosa
Tel: 21.22327077 / 22733974 / 92905933Rosiane Rodrigues (Assessora de Imprensa da CCIR)



Axé a todos Irmãos de Fé
Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não somos donos da verdade, mas sim contribuintes a boa divulgação dos ensinamentos da Umbanda, caso tenha algo para acrescentar ou corrigir envie para nós.
Obrigado

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Leia o Blog e Ouça este lindo Hino dos Orixás

Histórias dos Mestres

Aqui nosso E Mail mande sugestôes - espadadeogum@gmail.com

Pai Oxalá

Jesus

Conselheiros dos Guerreiros do Axé

Conselheiros dos Guerreiros do Axé
Pai Leonardo e Pai Emidio de Ogum

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras
Pai Leo das Pedreiras

Eterno Mestre

Eterno Mestre
Este senhor ensinou a humildade e nunca usar um dom para ganhar algo em troca.

Mais de 10 milhões de Visitantes - Que nosso Pai Ogum ilumine seus caminhos

Pomba Gira

Oração de São Francisco por Maria Bethania

São Francisco

Oração a São Francisco